.

.

domingo, 28 de agosto de 2016

Disputa pela prefeitura municipal promete ser uma das mais acirradas da história.

Candidatos intensificam caminhadas e visitas casa a casa em busca de votos.

Por: Marcio Martins
Créditos: Divulgação/Facebook

Uma das eleições mais disputadas da história de Canapi, é assim que tem se desenhado o atual cenário político para a chefia do Poder Executivo Municipal, que de um lado tem Madson Paulino, presidente silenciado do STTR indicado pelo grupo do prefeito afastado Celso Luiz e do outro, Vinicius, filho do ex-prefeito Zé Hermes, além do agropecuarista Valmir Godoy que pela segunda vez coloca seu nome a disposição do eleitorado canapiense.

Diferente de outras campanhas eleitorais onde os candidatos se empenhavam apenas em comícios e reuniões em sítios e povoados, nesta eleição os candidatos tem apostado no corpo a corpo eleitoral com visitas casa a casa e caminhadas, ou arrastão como muitos preferem definir.

E é apostando nisso, que os candidatos a prefeito começaram a divulgar suas agendas políticas convocando o eleitorado canapiense a participar de tais atos, a exemplo deste final de semana, quando ainda na ultima sexta-feira (26) o ex-prefeito Zé Hermes acompanhados de correligionários e simpatizantes políticos percorreu as ruas do Bairro Floriano Peixoto, a popular “Favelinha”. O objetivo do ex-gestor foi apresentar seu filho Vinicius aos moradores daquela comunidade, haja visto que o mesmo tem a seu desfavor o fato de não morar no município e por consequências disso, não conhecer seus munícipes e muito menos os problemas e as dificuldades pelas quais passam diariamente. A caminhada segundo alguns correligionários do ex-gestor foi um “sucesso” uma demonstração de que o povo de Canapi realmente quer “mudança”, no entanto, para alguns opositores o que se viu durante a caminhada do ex-prefeito e seu filho foi a presença das mesmas pessoas de sempre que o acompanham em suas visitas nos sítios e povoados, fato que levantou uma série de questionamentos, o principal deles; Onde estava o povão durante a caminhada? Contudo, para os correligionários do candidato Vinicius, o evento se tratou apenas de visitas casa a casa, o que segundo eles é diferente de arrastão como realizado pelo candidato Madson Paulino no dia seguinte, ou melhor, no sábado (27) quando centenas de pessoas atenderam ao chamado do candidato e foram às ruas vestidos de vermelho, mostrando assim segundo eles, que a eleição que a oposição diz está ganha na verdade seria “desespero”, até porque ainda faltam exatos 37 dias para a realização do pleito e a tinta vermelha só se espalha pelos quatro cantos do município.

Mas assim como fizeram os aliados do candidato Madson Paulino tentando desqualificar a caminhada do candidato Vinicius, seus correligionários também não deixaram passar em branco, para isso, usaram as redes sociais para comentar que o grande público presente na caminhada do candidato adversário só foi possível porque tinha pessoas de outros municípios, além de acusar o grupo adversário de pagar para que as pessoas se fizessem presente. E foram muito mais além, prometendo sabe-se lá se com o aval ou não do seu candidato a prefeito, fazer um arrastão muito maior, que segundo eles, Canapi não teria condições de comportar, afinal, o que fizeram na sexta, foi apenas uma visita casa a casa que segundo eles é muito diferente de um arrastão.

Faz-se necessário salientar que tais declarações tanto de um grupo político quanto do outro, não foram ditas ou escritas por nenhum dos candidatos a prefeito, mas sim por aqueles eleitores mais fanáticos que só conseguem enxergar apenas um lado dessa disputa, O SEU!

Mas voltando a falar sobre os desafios que os candidatos a prefeito tem para convencer o eleitorado canapiense que seu nome é o melhor para o município, se por um lado o candidato Vinicius sofre pelo o fato de ser um completo desconhecido da população, por outro lado a forte influencia e liderança política do seu pai e familiares trabalha em contraponto para superar este ponto negativo de sua campanha. Já Madson Paulino tem um forte trabalho com os agricultores e conhece como poucos o município e a realidade de seu povo, contudo, pesa sobre ele sua aliança com o prefeito afastado Celso Luiz, o qual assim como o ex-prefeito Zé Hermes possuem forte rejeição do eleitorado canapiense tendo em vista os processos por desvios de recursos públicos que ambos respondem na justiça. Para os opositores de Celso Luiz, Madson Paulino seria apenas um “laranja” ou um “boneco” como disse o ex-prefeito Zé Hermes de uma provável administração que seria supostamente comandada pelo próprio Celso Luiz. Contudo, não é o que se tem visto durante as caminhadas, palestras e discursos do candidato Madson Paulino, que segundo seus eleitores, quando questionado pelos munícipes os quais tem visitado, sobre qual sua opinião sobre os escândalos que envolvem o nome de Celso Luiz? Em momento algum Madson tem procurado argumentos para defender os atos ilícitos pelos quais seu “padrinho político” vem sendo acusado pelo MPE/AL, mas sim, dito e repetido inúmeras vezes que em caso de vitória nas urnas seu governo será um governo do povo, comandado por ele e não por aliado algum, uma gestão diferente que pretende de vez abolir a velha política, tanto é que segundo ele, Celso Luiz tem se mantido afastado de sua campanha, embora é claro, as boas ações de sua gestão não devam ser esquecidas e sim exaltadas.

É por essas e outras questões, que as eleições deste ano em Canapi sem sombra de dúvidas será uma das mais disputadas da história do município.

Alguém duvida?

Obs: O candidato Valmir Godoy não divulgou sua agenda política.


terça-feira, 23 de agosto de 2016

Candidato a prefeito divulga Carta Aberta ao povo de Canapi.

Por: Valmir Godoy

CAROS AMIGOS DE CANAPI (CIDADE, POVOADOS E ZONA RURAL)

Sou VALMIR GODOY, Conhecido também só por GODOY, venho por meio desta carta comunicar ao sofrido povo deste município que mais uma vez sou candidato a PREFEITO e como é impossível falar com cada um pessoalmente decidi fazer esta carta para poder alcançar o conhecimento de cada canapiense, e falar para o povo qual é o meu VERDADEIRO POSICIONAMENTO em relação a POLÍTICA de CANAPI.

Ser candidato independente dos dois grupos, ou melhor, das duas famílias que vêm comandando a prefeitura durante esses longos anos não é uma decisão fácil de ser tomada e ser executada, até porque se está lutando contra uma tradição de mais de cinquenta anos, mesmo assim registrei minha candidatura. Tomei esta decisão baseado no fato que meu saudoso pai, ZINHO GODOY, ter sido prefeito do município vizinho “OURO BRANCO’’ com um alto índice de aprovação e Respeito da população; assim com o conhecimento adquirido por acompanhar de perto seu trabalho sonhei em um dia aplicar este mesma forma de Administrar aqui em CANAPI. Estou nesta luta, pois tenho total interesse em ver este município bem desenvolvido, afinal de contas, foi aqui que decidi morar e construir minha vida, minha propriedade é no povoado Carié, herança dos meus pais, lugar que vivo, moro e amo, quero dizer com isso que resido no município de CANAPI e tenho um vinculo de uma vida com ele, não com outro município ou outra cidade ou Capital do estado. 

Canapi precisa: respirar novos ares de outras lideranças, de respeito pelo seu povo, dignidade, compreensão por parte dos seus governantes, ser governado por um coração sem ganância que se compadeça deste povo sofrido e abandonado há muitos anos. O fato do prefeito morar no município que ele administra pra mim e essencial, o prefeito não pode morar fora do município, ele tem que acompanhar, ver, resolver pessoalmente os problemas que surgem todo dia e ele tem que se fazer presente, sendo assim ele tem que morar no município, de forma alguma o prefeito pode morar em outra cidade, prefeito que mora em outra cidade não gosta de conviver com seu povo. Como o dito popular ’’um amigo pra todas as horas’’ assim deve se comportar o prefeito, que só serve se o povo puder contar com ele em todas as horas. 

Todos sabem que em todos esses anos a pessoa para conversar com o prefeito daqui de Canapi teria que se deslocar para Maceió, isto é, se conseguisse marcar audiência, pois primeiro ele(a) tem que convencer seu assessor a fazê-lo, poucos têm “o número do seu celular”... E o cidadão que é tímido e não tem conhecimento nem dinheiro para se locomover, como resolver seu problema? Só pode contar com a sorte, pois é impossível para ele(a) encontrar o Prefeito para poder ouvi-lo e prestar-lhe o devido socorro. É DESTA MANEIRA QUE HÁ VÁRIOS MANDATOS NOSSO MUNICÍPIO VEM SENDO ADMINISTRADO. Por esse motivo, entendo perfeitamente o porque da descrença de hoje das pessoas na classe política, mas o que eu posso falar é que nunca fui administrador de Canapi, então só posso ser julgado após a experiência de um mandato de prefeito, para qual lanço meu nome como a verdadeira opção de mudança, ao tempo em que peço a vocês que nunca acreditem em conversas maldosas inventadas a meu respeito, pois o meu único objetivo como político é poder mudar o rumo de Canapi para o melhor, assim como meu pai fez em Ouro Branco, muito obrigado.

Clientes contemplados do mês de Agosto/2016 da Eletropetromotos em Canapi.

Grupo: 326
Cota: 30
Cliente: Daniela Maria da Silva
Contemplação:  01 Honda Pop 100
com 35 parcelas pagas

Grupo: 419
Cota: 09
Cliente: Rosália Vicente Viera da Silva
Contemplação: 01 Honda Pop 100 
com 27 parcelas pagas

Próximo sorteio será no dia 22 de Setembro de 2016 as 09:00hs na Rua Sônia Malta - Centro

Boa sorte a todos!

ELETROPETROMOTOS SEU SONHO NA DIREÇÃO CERTA!!!


Confira aqui os sorteios anteriores:

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Canapi - 54 anos de lutas e glórias! Mas que lutas? Mas que glórias?

O que temos a comemorar neste 22 de agosto em meio a tanto descaso político e abandono no decorrer de todos esses anos?

Por: Marcio Martins
Crédito: Divulgação/Facebook

Antes de ser batizado de Canapi em homenagem ao riacho Canapi, nosso município ainda então pertencente à Mata Grande era apenas uma fazenda chamada Cavalo Morto pertencente a Cipriano Gomes da Silva. Mas apesar de ser o proprietário da maior parte das terras que deram origem ao município, engana-se quem pensa que foi Cipriano o responsável pelo movimento de emancipação política do município após o processo de povoação do lugarejo com a chegada dos trabalhadores do DNOCS para trabalhar nas obras de construção da ponte sobre o rio Canapi, mas sim, a família Malta que detinham forte controle político na região quando em 22 de Agosto de 1962 conseguiram finalmente transformar o pequeno povoado em município, agora não mais pertencente ao município de Mata Grande.

É claro que os moradores de Canapi tem muito a agradecer a família Malta por todo esse processo de emancipação, não só a família Malta, mas as famílias Tête, Cipriano e todas as demais famílias que ajudaram a construir e desenvolver este sofrido município. Contudo, o fato dessas famílias terem sido as fundadoras deste município não os dar o direito a seus descendentes de achar que devem se eternizar no poder e muito menos continuar com as mesmas práticas coronelistas que se fazia política nos primórdios anos de emancipação, pois, se antes a população votava por medo e necessidade, hoje, boa parte ainda continua votando pela necessidade, infelizmente, mas não mais por medo, o que confesso que não sei se é um fator positivo ou negativo destes novos tempos, haja visto, que o medo para quem não precisa deu lugar a ganância e a fissura por status e poder.

Pois bem, das famílias citadas anteriormente que foram fundadoras deste município, não podemos esquecer da família Mariano que assim como a família Malta também tem sua grande parcela de contribuição com o desenvolvimento político-administrativo do nosso município ao longo destes 54 anos, no entanto, os membros desta família também se permitiram “esquecer” que a velha política dos tempos dos coronéis e do poder passado de pai para filhos, parentes e netos se torna tão prejudicial ao progresso de um povo quanto a política coronelista do medo e da necessidade que eles hoje essa mesma família faz tanta questão de dizer que são combatentes.

Não precisamos ter 50 anos ou mais de residência neste município para saber que durante todos esses anos o poder direta e indiretamente sempre esteve nas mãos das famílias Malta e Mariano, mais precisamente a contar da data de emancipação foram; 32 anos nas mãos dos Malta e 22 nas mãos dos Marianos, sendo que neste intervalo, por 8 anos dividiram o mesmo palanque quando em 2004, o genro do ex-prefeito José Mariano Sobrinho, o advogado José Hermes de Lima se lançou vice-prefeito na chapa da mãe do então Deputado Estadual Celso Luiz Tenório Malta Brandão e 04 anos depois candidato a prefeito eleito com total e irrestrito apoio do deputado.

Pois bem, se durante meio século reinou o medo e a repressão entre os munícipes que de certa forma se colocavam contra os mandos e desmandos das autoridades políticas que passaram pelo poder do nosso querido município, os escândalos de corrupção também eram práticas cotidianas, a compra de votos que sempre foi crime que o diga! Afinal de contas, quem não lembra do helicóptero do deputado “bonzinho” que jogava dinheiro pro povo a sobrevoar o município, ou mesmo das filas intermináveis para distribuição de dinheiro que até hoje apesar de ser crime ainda é prática rotineira de alguns políticos do município e região?

Mas apesar destes atos espetaculosos de corrupção, nada se compara a dois grandes escândalos de corrupção praticados nos últimos 15 anos, o primeiro em 2005 quando o então prefeito José Hermes de Lima que chegou ao poder de braços dados com o então deputado Celso Luiz, após três meses de mandato foi parar na cadeia sobre a suspeita de desvios de recursos da merenda escolar na famosa operação da Polícia Federal denominada OPERAÇÃO GABIRÚ, na época o gestor passou 54 dias presos, período em que o município passou a ser governado pelo então vice-prefeito Arnaldo Barbosa, hoje vereador. Este triste e revoltante episódio da politicagem canapiense não ficou marcado apenas pela prisão do prefeito, mas principalmente pelos fatos vergonhosos que se deram antes e depois de sua libertação, antes pelas vigílias que o então padre da época fez pela libertação do gestor como se o mesmo fosse vitima de todo o esquema e como se fosse algo desinteressado por parte do religioso, salvo engano, pois dias depois de retornar ao comando do município, o padre “desinteressado” foi nomeado Secretário de Saúde do município, cargo que não pode assumir uma vez que por determinação do Bispo Diocesano acabou transferido para outro município. E depois... pelo “espetáculo pirotécnico” feito pela equipe do então prefeito que simplesmente jogando no lixo todos os valores éticos e morais fizeram uma grande carreata para receber com status de “celebridade” o prefeito preso por supostamente ter desviado recursos públicos da merenda escolar justamente dos filhos dos que os carregaram nos braços.

Embora tantos anos depois, o ex-prefeito continue afirmando ser inocente, esse não foi o entendimento da Justiça Federal que em 2012 o condenou a 12 anos de prisão e que desde então responde ao processo em liberdade, contudo, com base na lei da ficha limpa o ex-gestor foi impedido de registrar sua candidatura a prefeito, mas pensa que ele desistiu? De forma alguma, hoje tenta voltar ao poder através da candidatura do filho, que por sinal é neto do ex-prefeito José Mariano, e que se eleito for dará continuidade a uma oligarquia familiar que poderá chegar a 30 anos no poder em 2024 quando Canapi estiver completando seu 62º aniversário de emancipação política, ou seja, de independência do município de Mata Grande, mas eterno dependente das famílias Malta e Mariano.

11 anos se passaram desde a Operação Gabirú, contudo, quando pensávamos que nada pior pudesse acontecer, eis que surge a Operação Triângulo das Bermudas, só que desta vez, o alvo era o ex-deputado estadual e Presidente da Assembléia Legislativa do Estado Celso Luiz, acusado pelo MPE/AL de desviar nada mais nada menos que 10 milhões de reais de precatórios da educação municipal através de “laranjas” em um curto período de apenas 13 meses, vindo a ser afastado por 180 dias por determinação da Justiça da Comarca de Mata Grande. Resultado! O município que já estava à beira do caos com o comércio sem receber e servidores públicos contratados e concursados em greve por falta de pagamento, caiu de vez no fundo do poço, ao ponto de chegar a ficar por mais de 15 dias sem prefeito, já que manobras da Câmara de Vereadores impediram o vice-prefeito de tomar posse do que constitucionalmente lhe é garantido em caso de morte, renuncia ou afastamento do prefeito eleito, porém, depois de muita novela, por decisão da justiça o vice-prefeito Vieira finalmente tomou posse prometendo regularizar e pagar todos os débitos deixados pela gestão anterior, e assim, em menos de 48 horas conseguiu agilizar o pagamento de parte dos servidores concursados que já estavam a 20 dias de salários atrasados, mas como nem tudo são flores, o prefeito interino simplesmente demitiu todos os servidores contratados, causando desespero geral entre a categoria que agora não sabe se irá de fato receber pelo que trabalharam. Outra grande preocupação, desta vez não apenas dos servidores, diz respeito ao retorno das aulas, paralisadas a mais de 60 dias. Contudo, de acordo com o governo interino as aulas serão iniciadas na próxima segunda-feira (29), porém, como se dará o processo de contratação de todos esses servidores, bem como, o pagamento dos motoristas do transporte escolar?

Dúvidas a parte, o que se sabe é que o prefeito afastado Celso Luiz simplesmente afundou de vez o município e que o prefeito interino “Vieira do povão” pegou um abacaxi enorme para descascar, mas que não vem descascando sozinho, pois conta com o apoio da família Brandão em Mata Grande e segundo correligionário do prefeito afastado Celso Luiz, do próprio Zé Hermes, que teria o governo interino como um governo de "transição", haja visto que sua equipe tem sido formada por pessoas ligadas diretamente ao ex-prefeito e que inclusive são seus eleitores declarados, somado ainda a pessoas que faziam parte da gestão anterior, mas que agora trabalham no governo interino e já anunciaram apoio ao ex-prefeito. Vieira nega, e diz que está trabalhando conforme determinação da justiça e nomeando sua equipe sem qualquer ingerência política.

Diante de todo o exposto, que lutas e que glórias temos a comemorar? Canapi sofre a dor do individualismo do seu povo e a ganância de seus líderes, sobrevive sem expectativas de um futuro melhor quando em seus quadros os que propõem a mudança o que importa é quanto se tem $$$$ e não o que representa... e hoje em 22 de Agosto de 2016 data de mais uma festa de emancipação paga o preço da CORRUPÇÃO privado do direito a uma grande festa a altura de seu povo, sem as tradicionais modalidades esportivas e o Tradicional Desfile Cívico o município agoniza o desprezo dos seus governantes e a traição de grande parte do seu povo, que mesmo sendo as grandes vitimas de tudo isso, continuam os aplaudindo de pé.

Que Deus tenha piedade e misericórdia dos que falam seu santo nome a beneficio próprio a ignorar o sofrimento do irmão por mais que ele mereça.


sábado, 20 de agosto de 2016

Boatos de que a Prefeitura Municipal não tem dinheiro para pagar os servidores contratados que foram demitidos pela atual gestão revolta à categoria.

Servidores não recebem salários desde o mês de Junho quando foram pagos os ordenados referentes ao mês de Maio pelo então prefeito Celso Luiz, afastado  pela Justiça sobre a acusação de liderar um suposto esquema de desvios de recursos da educação.

Por: Marcio Martins
Crédito: Ítallo Timóteo/Radar89

Muito tem se falado, denunciado e divulgado sobre o suposto esquema de corrupção denunciado pelo MPE que teria desviado pelo menos 10 milhões de reais dos precatórios da educação de Canapi resultando no afastamento do então prefeito Celso Luiz por 180 dias conforme determinação da Justiça da comarca de Mata Grande, causando assim, uma das maiores instabilidades política da história do município, principalmente no que diz respeito ao atraso salarial de servidores concursados, efetivos e contratados, que em alguns casos chegam há 03 meses em especial na área da educação. Porém, o que muitos se questionam, mas pouco tem sido explorado pela mídia é o motivo pelo qual o prefeito afastado deixou a situação destes servidores chegar a tal ponto, haja visto que a contar da data do ultimo pagamento até o dia do seu afastamento da prefeitura municipal, de acordo com o site do Tesouro Nacional só de FPM e FUNDEB entrou nos cofres do município nada mais, nada menos que 4.535.305,58 referente aos meses de Junho e Julho/2016, fracionado da seguinte forma:

JUNHO/2016
FPM = 1.032.961,86
FUNDEB = 1.409.018,70
TOTAL = 2.441.980,56

JULHO/2016
FPM = 1.244.544,55
FUNDEB = 848.780,47
TOTAL = 2.093.325,02

Detalhe: Mesmo com todo esse dinheiro na conta do município, a educação parou no dia 17 de Junho por falta de pagamento dos motoristas do transporte escolar, servidores do quadro administrativo e professores efetivos, concursados e contratados.

Diante do exposto, a grande pergunta é: O que foi feito com todo esse recurso que não deu pra pagar os servidores contratados uma vez que de acordo com o prefeito interino Genaldo Soares Vieira a prefeitura não tem condições de pagar? Pelo menos isso é o que se comenta pelos quatro cantos do município, contudo, em entrevista a imprensa, o atual gestor explicou que os funcionários contratados não foram pagos por que existiam muitos nomes sem função e sem valor específico, mas que após uma reunião com seus advogados e um representante do Ministério Público, teria ficado acordado um novo recadastramento objetivando quitar todos os débitos.


Na verdade não se trata de um novo recadastramento, mas de novas contratações já que todos os servidores contratados na gestão do prefeito afastado foram demitidos pelo atual gestor. Nisso; o que os servidores se questionam é se aqueles que forem recontratados realmente irão receber o que ficou pendente da antiga gestão e quando? Além disso, como ficará a situação daqueles servidores que não serão recontratados? O prefeito diz que fará tudo conforme a justiça determinar, mas o que o povo quer saber mesmo é se a prefeitura tem ou não tem dinheiro para pagar aos servidores? E que montante foi deixado nas contas da prefeitura pelo prefeito Celso Luiz para quitação de tais débitos?

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Art. 220º da Constituição Federal: A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.